quarta-feira, 27 de novembro de 2013

10 comportamentos ruins para sua carreira

grande homem pequeno
O prepotente recusa todas as críticas e 
contribuições de terceiros.
Conhecimento técnico não é suficiente para atingir o sucesso. Existem alguns princípios, como a cordialidade, o respeito e a prestatividade, que fazem a diferença em qualquer área de atuação, assim como atitudes que prejudicam até as pessoas mais capacitadas. Muitas vezes, por serem antigos e estarem enraizados no cotidiano, estes traços negativos de personalidade  não são facilmente percebidos, sobretudo em indivíduos mais velhos. Eles costumam estar associados à dificuldade de lidar com o outro, e se não forem rapidamente corrigidos podem afetar de forma permanente a carreira profissional.
Veja quais são esses comportamentos e por que devem ser evitados:
Arrogância – prejudica o trabalho em grupo, pois o prepotente recusa todas as críticas e contribuições de terceiros. Além de não admitir participações, não partilha o conhecimento;
Conformismo – Permanecer na zona de conforto e ignorar oportunidades para desenvolver novas competências empobrece o currículo e afasta promoções;
Desorganização – a falta de prioridades no serviço gera perda de tempo e dificulta a entrega de resultados no prazo estipulado;
Emotividade – complica a tomada de decisões, principalmente em cargos de liderança, nos quais é exigida uma postura imparcial e objetiva;
Fofoca – os boatos afetam a credibilidade. Chefes e colegas pensarão duas vezes antes de confiar uma tarefa a quem distorce os fatos e espalha informações falsas;
homens mulheres fofoca
Os boatos afetam a credibilidade.
Impulsividade – agir sem pensar aumenta as chances de envolvimento em situações de risco, como investimentos sem retorno certo;
Intolerância – interfere nas relações interpessoais e pode levar ao isolamento;
Perfeccionismo – a busca por um padrão constante de excelência acaba atrasando o cumprimento das obrigações;
Rebeldia – toda determinação superior é contestada, provocando indisposição entre membros de uma equipe;
Timidez – o medo de expor opiniões e defender as próprias ideias limita a atuação.
Estes tipos de conduta são nocivos a todas as carreiras profissionais, já que ninguém trabalha sozinho. Durante todo o tempo as pessoas estão em contato com outras que pensam e agem de modo distinto, sejam clientes, fornecedores, líderes ou parceiros. A competitividade do mercado também exige posturas diferentes, pois quem insiste no erro e não muda é facilmente superado por alguém mais jovem, disposto e atento às necessidades do empregador. Por isso, é fundamental saber adaptar-se, reconhecer as atitudes ruins e modificá-las.
Quando há dificuldade de mudar por conta própria, serviços especializados que relacionam coaching e carreira podem ajudar o indivíduo a identificar onde estão as falhas. A análise objetiva do comportamento, através de questionários simples, leva à reflexão e permite propor alternativas para resolver os problemas, contribuindo não só com o crescimento pessoal como para a formação de trabalhadores mais eficientes e engajados.
- See more at: http://www.sbcoaching.com.br/blog/comportamento/10-comportamentos-ruins-carreira/#sthash.c5OKWlKS.dpuf



Criando Novos Hábitos

mulher praia
Criar ou mudar hábitos definitivamente não é algo fácil.
(por Fernando Colella)
Criar ou mudar hábitos definitivamente não é algo fácil. Quem já tentou parar de fumar, iniciar uma dieta ou começar a acordar mais cedo para praticar uma atividade física compreende bem o que estamos falando. Esse é o tema do livro “O Poder do Hábito”, best-seller escrito pelo repórter investigativo do New York Times, Charles Duhigg. Com base na leitura de centenas de artigos acadêmicos, entrevistas com cientistas e pesquisas em empresas, Duhigg defende que hábitos podem ser criados e transformados, desde que seu mecanismo de funcionamento seja corretamente compreendido.
O mais importante aqui é compreender que hábitos, bons ou ruins, fazem parte de um mecanismo natural do cérebro, que procura o tempo todo maneiras de poupar esforço. Em outras palavras, o que os cientistas dizem é que o cérebro sempre tentará transformar qualquer rotina em um hábito para que a mente possa desacelerar com maior frequência.
Isso é exatamente o que comprovam alguns experimentos feitos no MIT (Massachusetts Institute of Technology). Basicamente, alguns ratos eram colocados diante de uma porta fechada. Quando soava um clique, a porta se abria para que pudessem entrar em um labirinto. Se os ratos seguissem em frente e depois virassem à esquerda, encontrariam comida, mas se tentassem outro caminho, não encontrariam nada. A partir do monitoramento do cérebro desses animais, os cientistas perceberam que, nos primeiros dias do experimento, a atividade cerebral dos ratos era muito intensa enquanto ficavam fuçando, cheirando e procurando algo. Nos dias seguintes o experimento era repetido e, a medida que os ratos aprendiam onde estava a comida, passavam a errar menos o percurso e sua atividade cerebral era drasticamente reduzida.
Assim, um hábito se formou naqueles pequenos animais. A cada dia que a rotina de fazer o mesmo caminho para encontrar a comida se consolidava, era menor a atividade cerebral nos bichinhos que, com menos esforço, passavam a operar no “piloto automático”. E é exatamente isso que ocorre conosco. Lembra-se quando você aprendeu a andar de bicicleta? No começo havia muita dificuldade e medo, você precisava do auxílio de rodinhas e da supervisão de um adulto. Depois você passou a ter prática com aquele instrumento de duas rodas, ficou mais independente e ousado, e passou a não ter mais que pensar para pedalar, frear ou controlar a direção. O hábito consolidou-se de tal forma que, se resolver passar alguns anos com a bicicleta encostada, saberá exatamente o que fazer quando tentar novamente, e nunca mais terá a mesma dificuldade das primeiras vezes.
Mas o mais importante desse e de outros experimentos sobre o tema, é que os cientistas puderam desvendar como exatamente os hábitos funcionam. Basicamente, eles são constituídos de três componentes, que formam o chamado “loop do hábito”. O primeiro deles é a deixa, que é o evento que gera o impulso para o hábito. O segundo é a rotina, ou seja, o conjunto de atividades que permitem que o hábito seja percebido como tal. O terceiro componente é a recompensa, o incentivo que o cérebro busca e que mantém o hábito. No experimento do MIT, o clique que soava era a deixa para que os ratos mantivessem a rotina na busca da recompensa: a comida no final do labirinto.
loop hábito
Há ainda mais um elemento fundamental para manter o “loop do hábito”, que é o anseio.
Há ainda mais um elemento fundamental para manter o “loop do hábito”, que é o anseio. Trata-se de uma antecipação da recompensa, também deflagrada pela deixa, que o cérebro promove uma vez desenvolvido o hábito. Um fumante que vê um maço de cigarros (deixa), por exemplo, passa a viver o anseio da recompensa, que é a sensação que o cigarro irá lhe proporcionar. Segundo Duhigg, vários estudos demonstram que apenas uma deixa e uma recompensa não são suficientes para que um hábito perdure, é necessário que haja também um irresistível anseio.
E é assim que novos hábitos são criados: somando uma deixa, uma rotina e uma recompensa, que mantém um anseio capaz de alimentar loop. O mais interessante de tudo isso é que, com esse conhecimento, temos uma fórmula básica para criação de hábitos que pode ser utilizada por qualquer pessoa. É uma boa razão para nos desafiarmos a desenvolver aquele hábito que há tempos pensamos, mas sempre deixamos para depois, ou que iniciamos um dia e acabamos desistindo em função das dificuldades enfrentadas. Aceita o desafio?
Em primeiro lugar temos que ter clareza da rotina a ser desenvolvida. No coaching, todo objetivo deve ser bem específico. Se o seu objetivo é condicionar-se fisicamente, é preciso definir se pretende fazê-lo através de corridas, praticando algum esporte ou frequentando uma academia. Outras definições são importantes, como os dias e horários da semana que pretende dedicar-se a essa atividade, bem como suas metas e uma forma de mensurá-las. Lembre-se que estamos falando da criação de um hábito novo, e para isso temos de ter não apenas uma motivação, mas também uma rotina bem clara a ser incorporada.
Para que essa nova rotina seja ativada, precisamos de uma deixa simples, algo que possa lembrar-lhe imediatamente daquela rotina a ser executada. Se o seu objetivo é frequentar uma academia em um horário específico, você pode definir um lembrete com alarme no celular, deixar a roupa da academia em um lugar visível para ser lembrado, ou mesmo pedir para um amigo ligar na hora correta para lhe cobrar. O importante é que seja uma deixa que não falhe e que funcione bem para você.
Por fim, é necessário que haja uma boa recompensa. Recompensas abstratas não funcionarão. É preciso que seja uma gratificação bem definida e irresistível, a ponto de criar um anseio que o cérebro passe a esperar e nos conduza automaticamente à rotina esperada. Para algumas pessoas, a sensação de bem-estar proporcionada pela atividade física é uma boa recompensa para quem deseja incorporar a rotina de frequentar uma academia, para outras pode ser a socialização, estar com amigos. Às vezes isso não é suficiente para começar, e podemos criar uma recompensa mais sedutora para nós, como tomar um gostoso smoothie depois de cada sessão de exercícios. Mais uma vez, a recompensa definida deve ser aquela que traga resultados mais efetivos para você.
Simplesmente definir uma deixa e recompensa nem sempre garantirá a criação imediata de um novo hábito. É preciso encontrar deixas e recompensas certas para desenvolver um anseio forte, e para isso pode ser necessário experimentar, testar novas alternativas até encontrar a melhor combinação para o seu hábito. Para desenvolver rotinas de forma consciente é preciso ainda esforço e repetição, e isso só poderá ser alcançado com persistência e comprometimento com a meta. Pode não ser uma tarefa muito fácil, mas agregar em sua vida aqueles hábitos que você tanto deseja para se tornar uma pessoa mais realizada, certamente fará valer a pena.
- See more at: http://www.sbcoaching.com.br/blog/colaboradores/fernando-colella/criando-novos-habitos/#sthash.6MlSp70i.dpuf

http://www.sbcoaching.com.br/blog/colaboradores/fernando-colella/criando-novos-habitos/


Construindo o hábito da excelência

mão stop bad habits
Mas os hábitos estão presentes também em ações bem mais 
simples como escovar os dentes ao acordar.
(Por Daniela Assunção)
A consciência humana, nossa maravilhosa capacidade de refletir, ponderar e escolher, é a nossa maior conquista evolutiva. A partir dela temos acesso a inúmeros benefícios como a criação de obras de arte fabulosas, as incríveis descobertas da ciência e a possibilidade de desvendar alguns mistérios do universo. Por outro lado, temos também a habilidade de operar no “piloto automático”, realizando comportamentos complexos sem qualquer pensamento consciente. E isso acontece depois de muita prática, como por exemplo, dirigir ou tocar violão. No início, é preciso muita atenção a cada etapa: saber ler as notas e conhecer os acordes musicais, pressionar as cordas correspondentes e com a outra mão controlar o ritmo e a firmeza do toque para reproduzir os sons que irão compor uma melodia.
Depois de aprendidos, esses movimentos tornam-se automáticos e fica muito mais fácil executar tal atividade. Mas os hábitos estão presentes também em ações bem mais simples como escovar os dentes ao acordar, repetir o trajeto para o trabalho diariamente ou sentar-se sempre no mesmo lugar à mesa. De todas as nossas ações diárias, praticamente metade delas (40%*) são hábitos – ou seja, são realizadas sem uma decisão prévia consciente. Isso acontece porque o cérebro está constantemente procurando maneiras de poupar energia.
Agir assim nos favorece por um lado, pois facilita nossa rotina diária. Pensar sobre um trajeto desconhecido, por exemplo, aumenta nossa atividade cerebral, e seria extremamente cansativo e desgastante estarmos atentos a tudo o tempo todo. O aspecto negativo dos hábitos é que nem sempre sabemos como eles foram criados e, além disso, uma vez instaurado um hábito é muito difícil modificá-lo.
Charles Duhigg, em seu bestseller “O Poder do Hábito”, destrinchou um hábito em três partes, e é aqui onde entendo que o coaching presta enorme contribuição. Um hábito pode ter sido criado a partir da observação, de um aprendizado específico ou simplesmente por tentativa e erro. A dificuldade em mudá-lo reside justamente no fato de que, para isso, vamos precisar de uma dose extra de energia e atenção a cada vez que “soar o alarme”. Ou seja, sempre que o gatilho que nos impulsiona a agir de determinada maneira for acionado, precisaremos estar atentos para introduzir um novo comportamento que irá gerar os benefícios que queremos.
Por exemplo, se parece impossível resistir à sobremesa após o almoço e queremos mudar isso, precisamos em primeiro lugar determinar qual é o real objetivo a ser alcançado: emagrecer? diminuir a ingestão de açúcar? economizar dinheiro? Por que seria importante mudar um comportamento para obter tal benefício? Depois disso, deve-se identificar qual é atualmente a recompensa que se está tendo ao agir dessa maneira. E se você é coach, essa é uma ótima oportunidade de identificar a real motivação de seu cliente por trás dessa atitude, pois só a partir disso é que será possível pesar, conscientemente, uma mudança de comportamento que garanta os atuais ganhos e elimine o que está sendo prejudicial.
Mulher escalando
Um hábito pode ter sido criado a partir da observação, de um aprendizado específico 
ou simplesmente por tentativa e erro.
Isso posto, temos que a dinâmica do hábito é a seguinte: ao captar a deixa ou o gatilho, o cérebro irá automaticamente “rodar o programinha” correspondente para gerar o resultado ao qual está acostumado e que anseia por ele. Iremos então, agir automaticamente de determinada maneira, por mais consciente que isso possa parecer. Mas para que aconteça uma mudança concreta e efetiva é necessário identificar uma série de aspectos que possam estar influenciando o atual comportamento – este é o ponto chave que deve ser trabalhado.
Conhecer essa estrutura de funcionamento do hábito nos dá o poder de atuar sobre ela. E se, além disso, pensarmos que é que pequenas coisas feitas de maneira consistente que são produzidos os grandes resultados, modificar nossos hábitos passa a ser fundamental para sermos bem sucedidos em qualquer área da vida.
Nos tempos atuais, onde o imediatismo é a palavra de ordem, pode soar trabalhoso dedicar tempo e energia para construir isso. Mas, ironicamente, grande parte dos nossos hábitos negativos diz respeito justamente ao que mais queremos: mais tempo e melhora na qualidade de vida!
Fica então a frase de Aristóteles: “Nós somos aquilo que repetidamente fazemos. Excelência, portanto, não é um ato, mas um hábito”; e a reflexão sobre a importância da auto-observação e o autoconhecimento, que são o início do processo de mudança dessa “chavinha”. Pode não ser muito fácil no início e pode dar trabalho sim, mas nenhum grande sonho foi concretizado a partir de atitudes medianas.
(*) “Um artigo publicado por um pesquisador da Duke University em 2006 descobriu que mais de 40% das ações que as pessoas realizavam todos os dias não eram decisões de fato, mas sim hábitos.” – Fonte: O Poder do Hábito, pág. 14
- See more at: http://www.sbcoaching.com.br/blog/colaboradores/daniela-assuncao/construindo-habito-excelencia/#sthash.rvTapQRL.dpuf





Pensamentos Positivos e Qualidade de Vida

mulher pensamento positivo
A conquista da qualidade de vida está diretamente
 relacionada aos pensamentos positivos.
As oportunidades para bons negócios ou para a realização pessoal devem ser bem aproveitadas quando elas surgirem. Para isso, é preciso encarar o medo dos novos desafios e focar nos aprendizados para uma maior capacitação. Saber lidar com as chances de mudança transforma para melhor o dia a dia das pessoas.
A conquista da qualidade de vida está diretamente relacionada aos pensamentos positivos e ao entendimento da necessidade de cultivar bons sentimentos em relação aos outros e às experiências vividas. Algumas atitudes podem auxiliar nesse processo de autocrescimento:
- Engajamento: Participar de atividades construtivas, como ações sociais, é uma boa maneira de se sentir bem consigo mesmo.
- Meditação e relaxamento: O corpo deve estar preparado para as aflições provocadas pelo estresse e cansaço. Sendo assim, procure técnicas que ajudem no descanso da mente e na liberação de tensões. A prática de exercícios físicos é um diferencial para enfrentar a dor e o mal-estar de uma rotina acelerada.
- Tenha metas: A sensação de ser desafiado a cumprir tarefas pode ser uma força motivadora para conquistar vitórias diárias e a satisfação individual. Organize-se para exercer os serviços sem acúmulos ou atrasos.
- Aproveite o dia: Sempre que tiver uma folga do trabalho, ocupe o tempo com boas companhias e com pequenos prazeres, como assistir a filmes, ouvir músicas e sair com familiares ou amigos.
café guardanapo caneta
O profissional coach tem um importante papel na
 transformação de pensamentos positivos em atitudes 
favoráveis para a carreira.

Coaching e Objetivos

O profissional coach tem um importante papel na transformação de pensamentos positivos em atitudes favoráveis para a carreira. Os ensinamentos intensificam os pontos fortes do indivíduo para o seu crescimento, através do chamado para um novo modo de vida. Por meio da percepção da realidade à sua volta, a pessoa conquistará ferramentas para lidar com os problemas e ter um dia mais feliz. Ao invés de fugir e de se queixar das pedras no caminho, ela irá se esforçar para entender a situação e encontrar uma saída. O resultado será o sucesso.

Como começar

A estratégia coaching estimula a autopercepção, o controle das emoções e o aperfeiçoamento de virtudes. O especialista identifica as reais necessidades do cliente, estipula metas e orienta para a eficácia do procedimento. O interessante é que o aprendiz é o responsável pelo seu próprio desenvolvimento.

Procure o melhor para si

Motivação é a palavra-chave para alcançar a felicidade em diferentes fases da vida. Manter-se estimulado para os desafios possibilita a resolução de impasses de forma sadia e sem sofrimento. Muitas vezes, ser otimista é a resposta para um bem-estar pleno.
- See more at: http://www.sbcoaching.com.br/blog/pensamento-positivo/pensamentos-positivos-qualidade-vida/#sthash.ZDMPSjZC.dpuf

http://www.sbcoaching.com.br/blog/pensamento-positivo/pensamentos-positivos-qualidade-vida/


O que faz a vida realmente valer a pena

mulher meditação
Um grande motivo que faz com que as pessoas abandonem seus trabalhos numa 
determinada empresa é a falta de compatibilidade entre seus valores e os da organização.
(Por Daniela Assunção)
Um grande motivo que faz com que as pessoas abandonem seus trabalhos numa determinada empresa é a falta de compatibilidade entre seus valores e os da organização. Se, inicialmente, o que nos atrai para ela é um conjunto de fatores como posição hierárquica, possibilidades de aprendizado e desenvolvimento de certas habilidades e competências, e mesmo ganhos financeiros, o que faz com que realmente permaneçamos lá vai além disso.
Se pensarmos nossa vida como a possibilidade de nos desenvolvermos e utilizarmos nossos talentos e recursos da melhor forma possível, o mais nobre é que possamos exercer isso em cada e todas as áreas que nos competem: pessoal, profissional, social, familiar, ambiental, etc. E para isso, conhecer-se é fundamental. A vida moderna tem nos vendido e impregnado de uma sede de urgência onde parece não caber mais um tempo para olhar para aquilo que é realmente importante para cada um de nós. E só conseguimos fazer isso se identificarmos claramente quais são os nossos valores – algo que pauta nossas escolhas e ações, mas nem sempre temos consciência de sua importância e profundidade.
Por exemplo, é frequente termos clientes que comentam que um de seus valores mais importantes é a família. Porém, para que possam proporcionar a vida que acreditam ser a ideal (ou aquela que a mídia e a sociedade impõem) à sua família, acabam se dedicando em demasia ao trabalho, a fim de ter a renda necessária para atender toda essa demanda. A consequência disso é um afastamento, por “falta de tempo”, daquilo que ela julgava ser tão importante: sua família! Como este temos vários outros exemplos de situações que ilustram nossa necessidade de atender um valor de menor importância, ou maior urgência por conta de uma situação momentânea, em detrimento de outros mais elevados.
No entanto, no decorrer e ao final da vida, é em função de temos atendido esses propósitos mais relevantes que nos sentiremos realizados. Se observarmos as pessoas que mais admiramos, elas têm uma coisa em comum, independentemente de opiniões pessoais a respeito de suas atitudes: elas vivem por seus valores. Nesta lista temos casos clássicos como Gandhi e Madre Teresa que dedicaram sua vida por algo que acreditavam e que ia muito além de seus interesses individuais. Mas podemos pensar também em pessoas mais próximas como aquele profissional que não se deixa corromper ou alguém que diga “não” com tanta propriedade que, mesmo não gostando de ouvir essa resposta, você sabe que ele está sendo autêntico e completamente alinhado com aquilo que acredita.
homem corda equilibrio
Um exercício que vale a pena ser feito de tempos em tempos é identificar 
como sua vida tem caminhado.
Nossos valores sofrem pouca variação ao longo da vida, o que geralmente muda é a forma de atendê-los. Um exercício que vale a pena ser feito de tempos em tempos é identificar como sua vida tem caminhado, os projetos nos quais você tem se envolvido, se eles atendem ou não a esses valores, o que precisa mudar ou pode ser melhorado. Além disso, vale avaliar também seus relacionamentos, que tipo de troca e crescimento eles têm lhe proporcionado, quais valores eles têm contribuído em atender? O que está faltando para que você se sinta em paz consigo mesmo? Identificar de onde exatamente vem esses valores – especialmente se você é coach e está trabalhando essa questão com seu cliente – também é um ponto importante, já que eles advêm de nossa educação, sociedade, mídia, etc. e, como dito no início, nem sempre refletem aquilo que é realmente valioso para a pessoa em questionamento.
Quando identificamos e encontramos os meios para colocar isso em ações, a vida flui num ritmo em que não precisamos correr contra ou atrás do tempo, pois tudo toma o seu ritmo certo. Você sabe identificar aquilo que é realmente importante para você? Quais são os SEUS valores?
- See more at: http://www.sbcoaching.com.br/blog/colaboradores/daniela-assuncao/faz-vida-realmente-valer-pena/#sthash.sOF9XApx.dpuf

http://www.sbcoaching.com.br/blog/colaboradores/daniela-assuncao/faz-vida-realmente-valer-pena/




Coaching Nutricional

prato alimentos
Uma alimentação equilibrada é importante para evitar doenças e 
manter o corpo com um bom funcionamento.
Uma alimentação equilibrada, com vitaminas e gorduras na medida certa, é importante para evitar doenças e manter o corpo com um bom funcionamento em qualquer idade. O coaching nutricional pode atuar nessa área, orientando pessoas com demandas específicas, como gestantes e diabéticos, e auxiliando na melhoria da qualidade de vida.
Por meio de um coach, as necessidades pontuais de cada indivíduo são identificadas e os participantes recebem direcionamentos voltados para a mudança de atitude e a busca por uma rotina mais saudável.
Ao longo do processo de reeducação nutricional, são escolhidos tópicos de informações a respeito de determinados temas, que podem ser gerais – sobre conservação e tipos de alimentos – ou específicos, abordando a prática de exercícios, o diabetes e a nutrição para gestantes e idosos. Os dados serão a base para que a pessoa tenha uma postura mais adequada no futuro.
Algumas dicas podem contribuir para uma alimentação balanceada:
Dê preferência às frutas – Como possuem mais nutrientes que energéticos, elas são leves e não estimulam a formação de tecido gorduroso. O ideal é acrescentar pequenas porções de frutas ao café da manhã. Antes dos exercícios físicos, prefira as ricas em água, como melancia e abacaxi.
Faça mais refeições – Comer a cada três ou quatro horas equilibra o nível de glicose no sangue e mantém o metabolismo acelerado. As porções devem ser menores e combinar proteínas, carboidratos e legumes. Com a frequente ingestão, são reduzidas a sensação de fome e as chances de consumir muitas guloseimas.
café alimentos frutas
As porções devem ser menores e combinar proteínas, 
carboidratos e legumes.
Evite radicalismos – Dietas extremas têm menos chances de obter resultados duradouros. Para uma reeducação eficaz, os hábitos precisam ser modificados aos poucos, e a comida deve ser – antes de tudo – agradável e saborosa. É possível ingerir chocolates e massas, desde que em quantidades moderadas e distribuídas entre as refeições.
Opte pelas carnes magras – As carnes são fonte abundante de proteínas, necessárias à manutenção dos músculos e ao fortalecimento de estruturas como a pele, unhas e cabelos. Uma dieta balanceada pode conter frango, boi e porco desde que os cortes escolhidos tenham um teor menor de gordura.
Beba muita água – A ingestão de líquidos ajuda a evitar desidratação e a eliminar toxinas do corpo mais rapidamente. Evite bebidas industrializadas, que possuem muitos conservantes e elevado teor calórico. Dê preferência à água, sobretudo depois dealimentar-se e entre exercícios.
coaching nutricional vem sendo utilizado tanto em clínicas especializadas como por profissionais autônomos capacitados. As sessões de orientação podem ser individuais ou feitas para grupos, e o objetivo é um só: ajudar a viver melhor.
- See more at: http://www.sbcoaching.com.br/blog/saude/coaching-nutricional/#sthash.VUxB6oTt.dpuf


Autor: 
Fundador e presidente da Sociedade Brasileira de Coaching, uma organização pioneira, com mais de uma década de tradição em excelência e qualidade. Master Coach com mais de 20 anos de experiência em grandes corporações globais, tais como Serasa, Votorantim, Coca-cola, Daimler Chrysler & Mercedes Benz. Formado em MBA pela FGV e possui diversas especializações em ciências do comportamento, gestão e liderança. Membro do IOC e ICC.
http://www.sbcoaching.com.br/blog/saude/coaching-nutricional/



segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Sexo durante a Gravidez

Dúvidas e mitos permeiam a cabeça do casal durante a gravidez quando se fala sobre sexo. É comum ouvir dizer que a criança pode sentir e que as relações amorosas pode acarretar problemas ao desenvolvimento do feto, mas ninguém busca consultar outras fontes para se informar corretamente. Outros problemas estão relacionados ao psicológico do casal: a mulher não se sente sexy e tem suas inseguranças em relação aos seu corpo. O homem por sua vez, mesmo apoiando a esposa e dizendo que a mulher está linda, não consegue convencê-la do contrário ou não sabe como oferecer o apoio necessário que ela precisa.
Sexo durante a gravidez pode ser desconfortável em alguns momentos mas não é proibido nem deve ser mau visto pelo casal. Também ajuda se os dois compreenderem que sexo não é só penetração e que existem muitas outras formas de dar e sentir prazer com a pessoa que se ama. Massagem, oral e outras brincadeirinhas podem tornar o momento a dois muito mais especial e gostoso.
Veja algumas posições que você pode fazer durante a gravidez:
É importante tomar os devidos cuidados para que não haja desconforto na hora do sexo, mas se o casal se ama de verdade o sexo é ainda mais gostoso, pois deixa-se de lado os pensamentos sobre a gravidez ou complicações. No momento da transa, o ideal é fazer  o possível para relaxar, se desprender das amarras psicológicas que impedem seu desejo de fluir e viver intensamente cada momento da transa com muito amor, compreensão e prazer.
Não se fica grávida a vida toda. O corpo vai mudar sim, mas é nesta hora que a mulher precisa se amar de verdade, se cuidar, ficar linda, cheirosa e macia e praticar o amor próprio. Não se comparar com outras, mas fazer o seu melhor e se sentir bem consigo mesma e se achar a grávida mais linda, mais maravilhosa, mais gostosa do mundo! E como parte do processo, a mulher tem que deixar isso muito claro para o homem, para ele sentir que ela está segura consigo mesma e que os dois vão aproveitar o momento juntos. Com uma postura positiva sobre si mesma, todos à sua volta, inclusive seu marido, vão pensar positivamente sobre você também.

Já fantasiou sobre transar com dois homens ao mesmo tempo?

 O livro erótico Fantasias Gêmeas conta como pode ser!

Já fantasiou sobre transar com dois homens ao mesmo tempo? A publicação revela como o sexo a três pode ser orquestrado.

Foto: Divulgação
A melhor cena do livro
Jenna abriu a boca e lambeu Ryan da base até a ponta, depois girou a língua ao redor da cabeça. Jake quase gemeu ao mesmo tempo que Ryan enquanto assistia a essa cena erótica.
Ele sabia que devia estar fulo, mas seus hormônios em fúria e seu desejo de meter dentro da doce abertura de Jenna superava qualquer emoção. Jenna apertou a bunda de Ryan, enfiando seu pau ainda mais para o fundo de sua garganta. Enquanto ela se inclinava, Jake viu alguns cachos escuros entre as penas dela.
Da estante para a cama
Na vida real, não precisa sair procurando irmãos idênticos, basta convencer seu parceiro a aceitar dividir o espaço com outro cara. Ok, não é nada fácil. Mas vale insistir. A vantagem é sua, que vira o centro das atenções de dois bonitões, mas eles também saem ganhando: um pode penetrá-la enquanto você faz oral no outro; você pode ficar de quatro, baixar o quadril para um deles chupá-la enquanto o outro a penetra; ou, para as mais ousadas, tentar uma dupla penetração. Se a ideia não for muito agradável para seu parceiro, use um vibrador ou pênis postiço para simulara existência do segundo cara - e aí ele escolhe onde prefere penetrar.


domingo, 24 de novembro de 2013

Kit Erótico de 50 Tons de Cinza



Chicotes, algemas, chibatas, bolas prateadas… Quem leu Cinquenta tons de cinza e Cinquenta tons mais escuros já está bem familiarizado com os brinquedos preferidos de Christian Grey e Anastasia Steele. Agora, para que os fãs da trilogia também possam se divertir e mergulhar no universo da obra, a sex shop inglesa Lovehoney e a autora E L James acabam de anunciar o lançamento da coleção oficial de produtos com a marca Fifty Shades.

Coleção Sex Shop de 50 Tons
Inspirados em passagens dos livros, os acessórios eróticos receberam nomes como Inner Goddess (Deusa Interior), All Mine (Toda Minha) e Submit To Me (Submeta-se), e estarão disponíveis a partir de dezembro, a tempo do Natal, em toda Europa e Austrália, distribuídos pela Lovehoney. Ainda não temos informações sobre a chegada dos produtos no Brasil.
Vi o texto aqui e informação original aqui 

Contrex: A água mineral da mulher

Contrex é uma marca francesa de água mineral e seu principal público são mulheres que querem emagrecer. Em 2011, a marca criou uma ação espetacular nas ruas de Paris, colocando bicicletas ergométricas em uma praça, na frente de um grande prédio. Assim que as mulheres começavam a pedalar, um mecanismo constituído por leds fazia surgir um dançarino na fachada do prédio. O dançarino se movimentava de maneira sensual, fazendo um strip tease e criou uma euforia divertida e erótica no público. Bem, falei demais! O restante vocês podem ver no vídeo abaixo…

Em 2012, a Contrex fez uma ação parecida mas agora, com vários brotinhos em perigo! A marca projetou virtualmente a simulação de um incêndio em um prédio. Dentro dele, vários homens malhados, sem camisa, “desesperados por ajuda” incentivavam as mulheres à subir no equipamento que “salvaria” suas vidas: um step de academia, que acionado, jogavam água no prédio em chamas. Um jeito interessante e divertido de passar a mensagem às consumidoras que querem perder peso. Confira o vídeo, que sensacional!
E a musiquinha gostosa que fica na cabeça, gente?


sábado, 23 de novembro de 2013

Que tal mudar seu jeito de pensar sobre sexo?


A trilogia “Cinquenta Tons de Cinza” tem causado alvoroço entre mulheres de todas as idades. Falando sobre um tema antigo e declarado como tabu, os livros da autora E.L. James causam euforia e interesse pela história de Christian Grey e Anastacia Steele justamente por ser o típico contos de fadas erótico. É aquilo que todo mundo faz mas ninguém conta.
Vejo de uma forma muito positiva o interesse pelo livro, até porque entre as mulheres virou uma espécie de “modinha”, todas querem ler e encontrar o seu Mr. Grey (uma mistura de homem rico, bonito, atraente, carinhoso e porque não, um pouco sádico). Apesar de não gostar muito dessas modas literárias instantâneas, já me decidi a ler o livro. Até porque estas mudanças não vêem sozinhas. Depois de 50 Tons, surgiram outros contos eróticos escritos de forma suave e sem obscenidade para tratar do mesmo assunto: sexo e relacionamento. Além disso, a trilogia movimentou o mercado eróticos e muitos sex shops registraram um aumento pela procura dos objetos eróticos descritos na história. Esse “fenômeno” foi mais uma prova de que homens e mulheres mudaram sim, e para melhor, buscando o prazer sem preconceitos.
E nesta busca pelo prazer, muitos homens utilizam recursos como livros, revistas, sites e filmes para se “inspirar” (e não utilizei esse palavra a toa). Acredito que apesar de ainda existir muito homem babaca, estes recursos não são utilizados somente para satisfação sexual própria e sim para se inspirar, ampliar o repertório e aplicar essas “teorias” em momentos íntimos com a parceira. Nem todas as mulheres se sentem bem vendo filmes mas é muito relativo, e isso não impede que homem procure os “materiais didáticos” para compor seu repertório de agrados à parceira. Apesar de tanta informação inútil, é fácil filtrar as coisas e se você está a fim de começar a utilizar esses recursos, pode começar por opções mais leves até se acostumar com a ideia e até quebrar os preconceitos que existem em você.
Depois que estiver à vontade com situação, que tal indicar um livro desses que tenha gostado para o marido ou namorado? Aproveita e escreve uma dedicatória bem sexy dizendo o que gostou no livro, o que gostaria de utilizar, o que mais te deixou curiosa para testar com ele. Ou chamá-lo para assistir um filme pornô? Aposto que a resposta será bem positiva e é capaz de esquentar a relação de vocês dois.
E vocês já leram o livro? Pensam em ler outros do mesmo gênero? Acredito que opções não faltam!